Ads 468x60px

quinta-feira, 15 de agosto de 2013

PERDÃO: REMÉDIO AO CORAÇÃO

Igreja Vitória

        Quando Jesus tratou com os discípulos sobre perdoar o arrependi-do, até mesmo sete vezes no dia, os discípulos disseram para ele: ‘‘Aumenta-nos a fé’’ (Lc. 17.5).
        Jesus, então, sugere para eles que se tivessem fé do tamanho de um grão de mostarda diriam a amoreira para se arrancar e transplantar-se no mar, e ela obedeceria (Lc. 17.6). Em outras palavras, Jesus estava dizendo que os discípulos não precisavam de uma fé especial ou aumentada para perdoar. A fé que eles tinham era capaz de fazer qualquer rancor ou mágoa serem arrancados do coração e expulsos dele.
        Talvez obedecer o mandamento de Jesus é difícil por não compreendermos o que significa perdão. Ray Pritchard, no seu livro O poder terapêutico do perdão, declara que perdão não significa:
        1. Aprovar o que uma pessoa fez;
        2. Fingir que o mal nunca foi feito;
        3. Inventar desculpa para o mau comportamento de outros;
        4. Justificar o mal para que o pecado se torne, de algum modo, menos pecaminoso;
        5. Fazer vistas grossas para o abuso;
        6. Negar a tentativa de outros feri-lo repetidamente;
        7. Permitir que pisem em você;
        8. Recusar-se a dar queixa quando o ato foi criminoso;
        9. Esquecer o mal que foi feito;
        10. Fingir que você nunca se magoou;
        11. Que você deve restaurar o relacionamento ao que era;
        12. Que você deve voltar a ser amigo daquela pessoa;
        13. Que deve haver reconciliação total, como se nada tivesse acontecido;
        14. Que todas as consequências negativas do pecado são anuladas.
         Segundo Pritchard, o perdão diz respeito à disposição interior. Ele acontece quando Deus nos liberta das amarras do rancor e do ódio, e coloca paz em nosso coração.
         Perdão não é algo fácil. Como diz C. S. Lewis: ‘‘Todos consideram o perdão uma idéia muito bonita até precisarem perdoar alguém’’.
         Não é fácil perdoar não somente porque um mal nos foi feito banalmente, mas porque depender de uma transformação de nosso coração. Essa transformação acontece quando o Espírito Santo nos convence de que o perdão não é opcional na vida cristã. Desta forma, o coração torna-se obediente a Deus. Também o Espírito nos convence de que o perdão é dado na medida em compreendemos o quanto fomos perdoados.
        O perdão é a cura de Deus para o mal dos ressentimentos. E Deus faz isto porque não quer que morramos envenenados pela desgraça do ódio, quando ele oferece o remédio do seu amor.
        Não esqueça: perdoamos porque Deus é muito mais importante que a dor que sentimos!
        Tenha uma semana de vitória!

        Rev. Lucas Guimarães

* * *
"Perdoamos porque Deus é muito mais importante que a dor que sentimos!"

* * *

Nenhum comentário:

Postar um comentário