Ads 468x60px

quarta-feira, 3 de julho de 2013

CONSEQUÊNCIAS DO BOATO

Igreja Vitória

Você sabe quais as causas e consequências de um boato? Em Atos 21, encontramos uma interessante história que nos mostra o passo-a-passo de um boato. O apóstolo Paulo pregava aos não-judeus e não exigia que eles se circuncidassem, como era costume no Judaísmo. Isso provocou um desconforto em alguns judeus cristãos que queriam preservar suas tradições. Estavam zangados com Paulo. Ao visitar Jerusalém, ele foi avisado de que esses judeus cristãos “ouviram dizer” que ele pregava contra a circuncisão. E “ouviram dizer” que ele estava em Jerusalém. Repare que, geralmente o boato não começa com nenhuma prova, mas sim com “ouvir dizer”. A liderança da igreja então deu um conselho a Paulo: “Acompanhe esses homens aqui; eles vão ao Templo pagar uma promessa. Pague as despesas deles. Assim todos saberão que não é verdade o que dizem de você” (v.24). E Paulo foi. Certamente você está se perguntando: “Essa é boa! Algumas pessoas “ouvem dizer” algo, e a vítima ainda tem que provar sua inocência? Não deveria ser o contrário? Essas pessoas era quem deveriam confirmar a veracidade das informações antes mesmo de passar adiante ou se indispor!
Você pensou que a história de Paulo pararia por aí? Pois ainda tem muito mais! No versículo 27 há algumas palavras-chaves: “alguns”, “atiçaram” e “gritar”. Veja! Apenas uma poucas pessoas conseguiram atiçar toda uma multidão contra Paulo. Tudo por verem Paulo com Trófimo. E vendo-o no Templo “pensaram” que Paulo tinha levado um gentio para lá. A verdade é que Paulo estava apenas no Templo ajudando outros a cumprir seus deveres religiosos. No v. 31, vemos que esse mal-entendido se tornou uma revolta popular que levou Paulo à prisão. Temos que ter cuidado, pois temos a capacidade de influenciar pessoas e formar opiniões. Então o que devemos fazer quando informações não comprovadas e “achismos” nos forem revelados? Ore a respeito!
Talvez você esteja com vontade de fazer justiça com as próprias mãos ao ver Paulo ser preso sem ter feito nada de mal, apenas devido a um boato. Damos graças a Deus porque os boatos sempre caem em contradição. No v. 30, 31, 34 e 35 vemos as palavras “confusão”, “revolta”, “uns gritavam uma coisa e outros outra” e “violência”. Onde está a justiça, a paz e a verdade defendidas pelos fofoqueiros? O cenário mais parece aquele da crucificação de Jesus!
Paulo na sua defesa foi apenas sincero e falou a verdade. Uma lição tiramos disso. Não é preciso perder tempo atacando as pessoas se elas se levantam contra nós por algum motivo. Apenas diga a verdade e tenha fé. Deus exalta os humilhados e toma o partido dos inocentes.
O caminho do boato e da fofoca é o caminho do inferno. A verdade anda no poder de Jesus Cristo e por ele derruba as armadilhas do diabo. Ninguém pode com a verdade senão pela verdade! (Texto adaptado)
Tenha uma semana de vitória!

Rev. Lucas Guimarães

* * *
"O caminho do boato e da fofoca é o caminho do inferno."

* * *

Igreja Presbiteriana Vitória

Nenhum comentário:

Postar um comentário