Ads 468x60px

sexta-feira, 29 de março de 2013

A CENTRALIDADE DA CRUZ

       
Igreja Vitória

          Nessa sexta-feira, quando relembramos o sacrifício de Jesus na cruz por nós, para refletirmos sobre o assunto, separei três declarações de escritores cristãos. Vejamos:
          P. T. Forsyth, no seu livro A crucialidade da Cruz:
‘‘Cristo é para nós o que o é a cruz. Tudo o que Cristo foi no céu ou na terra foi colocado no que ele fez aí... Cristo, repito, é para nós justamente o que a cruz o é. A pessoa não pode compreender a Cristo até que compreenda a sua cruz’’.
          Emil Brunner, em seu livro O mediador:
‘‘No Cristianismo a fé no Mediador não é algo opcional, não é algo sobre o qual, em último recurso, é possível terem-se diversas opiniões, se tão-somente estivermos unidos no ‘ponto principal’. Pois a fé no Mediador - no evento que aconteceu de uma vez por todas, uma expiação revelada - é a própria religião cristã; é o ‘ponto principal’; não é algo posto junto ao centro; é a substância e o grão, não a casca. Isto é tão verdade que podemos até mesmo dizer: diferentemente de todas as outras religião, a cristã é a fé em um Mediador... A cruz é o símbolo da fé cristã, da igreja cristã, da revelação de Deus em Jesus Cristo... Toda a luta da Reforma pela sola fide, o soli deo glória, não passou de uma luta pela interpretação correta da cruz. Aquele que compreende corretamente a cruz - e esta é a opinião dos reformadores - compreende a Bíblia, compreende a Jesus Cristo. Na teologia história cristã a morte de Cristo é o ponto central da história; para aí todas as estradas do passado convergem; e daí saem todas as estradas do futuro’’.
          John Stott, em seu livro Cristianismo básico:
‘‘Não é um exagero dizer que a figura central da Bíblia é Jesus Cristo, e que o aspecto central de Sua carreira, tal como é mostrado ali, foi sua morte. Isso não é de surpreender, pois que o propósito da Bíblia é essencialmente prático. É um manual de salvação para os pecadores. Se assim for, é então inevitável que Cristo crucificado seja proeminente, pois que é n’Ele que a salvação deve ser encontrada’’.
         Já dizia John Stott que o ‘‘coração do significado da cruz é Cristo em nosso lugar’’. O coração da cruz é a cruz no coração! Seja Jesus Cristo seu Salvador único e pessoal!
           Tenha um fim de semana de vitória no Senhor!

          Rev. Lucas Guimarães

Nenhum comentário:

Postar um comentário