Ads 468x60px

quarta-feira, 13 de junho de 2012

O MAL DA VANGLÓRIA


A vanglória é um mal combatido e temido. As pessoas policiam seus corações e medem as palavras para que não sejam tidas como vangloriosas.
O espaço da fé pode se tornar um terreno minado pelo engano do coração. A vangloria faz uso de duas grandes realidades da espiritualidade cristã: a fé e a consciência íntegra. Isto acontece porque elas são os referenciais da verdadeira espiritualidade cristã e da nova vida em Cristo.
Quando não se tem ou é, se finge que é ou tem. A vanglória é essa necessidade de mostrar por não se ter verdadeiramente. Aquele que tenta provar aos outros sua fé e consciência íntegra, e bate no peito como o fariseu quando orava excluindo o publicano, cai na armadilha da vangloria e se torna como a névoa que se dissipa ao raiar do sol.
A fé, que é expressão de plena disposição para colocar a glória sobre a ação de Deus, pode se tornar refúgio para a realização da vanglória humana. Na verdade, a vanglória tem lugar quando a fé deixa de ser uma resposta à graça de Deus em nossa vida e se torna uma obra humana com valor meritório.
A fé é uma declaração de insuficiência e plena carência. Somente tem fé quem reconhece sua dependência de Deus. A fé não é a declaração do que pode o ser humano, mas do que pode Deus. Crente é aquele que não tem do que se vangloriar. Sua condição de crente já diz que ele confia em outro e não em si mesmo!
A consciência íntegra tem paz com Deus e tranquilidade de alma. Por mais que se levante um tribunal contra ela, não prevalecerá. Tendo a justificação de Deus, essa consciência sabe que seu direito não lhe será negado pelo justo juízo.
Nada mais avesso a vanglória do que a fé e a consciência íntegra. Ambas são condições que se tem para que sejam apresentadas a Deus como princípio de gratidão, temor e obediência, e jamais no mérito. A fé é a única forma de agradar a Deus e a consciência limpa é a única forma de entrar em sua presença com ações de graças. Por mais que a fé e a consciência íntegra desenvolvam práticas de justiça e verdade que levem as pessoas a admirarem nossa atitude e vida, não devemos esquecer que onde a vangloria entra a fé e a consciência íntegra é abolida. A verdadeira espiritualidade não necessita do espetáculo da vanglória! Fariseus, desprovidos de fé, misericórdia e justiça, é que gritavam em orações, esmolas e jejuns! A vanglória recebe a recompensa dos homens. Os humildes de espírito recebem a recompensa de Deus!
Os que gritam “Senhor, Senhor”com vanglória devem provar por seus atos que estão isentos de toda sombra de hipocrisia. Se é que isso é possível, pois onde entra a vanglória a hipocrisia faz morada!
O crente deve se gloriar do Senhor e da força de seu poder. Ele não deve permitir que lhe seja tirada a coroa da justiça de sobre a sua cabeça. Ao exaltado Deus abate, e ao humilde Deus eleva. Quem investe na vanglória, faz mau negócio. O salário da vanglória não passa de engano e satisfação passageira. Quem toma a hipocrisia por aliada, perde tempo e oportunidade. Aos olhos de Deus, ele foi achado em falta! A árvore que sobrevive apenas de folhas, e não dar frutos, é cortada e lançada ao fogo!
Tenha uma boa semana na bênção de Deus!

Nenhum comentário:

Postar um comentário