Ads 468x60px

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

PROVAÇÕES: UM TREINAMENTO!

Igreja Vitória

A provação da fé tem por fim produzir “perseverança”. Deus nos gerou para produzir frutos. Deus investe em nós a fim de frutificarmos. Jesus nos compara com uma árvore que por não dá frutos é adubada como meio de fazê-la frutificar. Por que Deus permite as provações? Tiago responde para que exercitada a fortaleza de nossa fé haja em nós perseverança. Perseverança não é uma passiva atitude diante do infortúnio, mas uma atitude que usa as práticas cristãs como confronto as adversidades. Perseverar é resistir, é repelir os ataques! Na perseverança não somente se espera, mas se posiciona de forma vivencial e significativa diante dos males. Perseverar é responder usando as armas cristãs aos ataques!
A igreja precisa como nunca de homens e mulheres perseverantes. O batalhão de pessoas que voltam atrás é real. Quantas mulheres de Ló não existem no nosso meio? Quantos Pedros que só enxergam as ondas do mar e afundam? Posteriormente, Tiago exalta a persistência de Jó. A legião de homens Jós é necessário e urgente!
A nossa natureza é vacilante. O nosso ser é viciado na ansiedade, desconfiança, incredulidade, paixões e autopiedade. Deus, conhecendo a nossa estrutura, começa a treinar o nosso coração numa dependência real. As provações vêm justamente para trabalhar a nossa confiança e segurança em Cristo. Paulo afirma que podia tudo naquele que o fortalecia (Fl. 4:13). Antes dessa declaração extraordinária é dito que “aprendeu a viver contente em toda e qualquer situação” (v. 11). Isto era algo que Paulo desconhecia. Deus o fez conhecer para habituá-lo a viver segundo a fé, e de forma perseverante.
Perseverança é teimosia. Mas teimosia consciente. Jesus diz para os discípulos: “Vocês não querem também ir embora com os demais?” Pedro responde: “Para onde iremos Senhor. Temos percebido que o Senhor tem as palavras da vida eterna” (Jo. 6:67-68). Deus quer gerar em nós essa santa teimosia. Firmados nele nada nos convence do contrário. Esse processo chamamos não de teste, mas de treinamento!
As provações podem ser motivo de crescimento e sucesso espiritual, mas podemos torná-la nocivas, principalmente, quando caímos em murmuração e culpamos a Deus pelo ocorrido. Provações e tentações são tidos por muitos como sinônimas. Um olhar rápido poderia nos levar a pensar que Tiago também pensa assim. Ele muda o termo repentinamente tendo em vista haver muitas vezes essa confusão quanto a definição entre provação e tentação.
As provações revelam o treinamento de Deus para o crescimento de nossa fé na pessoa de Cristo. Nós podemos cair em erros gravíssimos ao enfrentarmos provações, tais como murmurações e incredulidade. Todavia, o alvo das provações não é em momento nenhum nos levar ao erro. É certo que Deus envia e permite provações. É a Sua escola, cujo propósito é a nossa formação. A tentação tem por objetivo o erro. A tentação pode ser uma provação, mas a provação em si não é uma tentação. A tentação não visa a educação na fé, mas o desvio da fé. Diante da tentação, nós pedimos a Deus: “Livra-nos do mal”. Deus, como fez com Jesus, pode nos levar à tentação, mas jamais nos tentar. Quando ele nos leva ou permite a tentação tem por objetivo nos fazer conhecer a nossa pecaminosidade. Uma vez certo diz rejeitamos nossa força e apoiemo-nos mais nEle. Deus a ninguém tenta, pois Ele a ninguém faz pecar ou errar.

Um abraço da família Vitória!

Rev. Lucas Guimarães

Igreja Vitória - Praia Grande/SP
18/02/11

Nenhum comentário:

Postar um comentário